Pesquisa

Visitantes

Temos 2 visitantes em linha
Poesia


"Diz a minha mãe que eu comecei a fazer versos aos 5 anos e aos 10 tive a comoção de ver os primeiros impressos e públicos.
Escrever poemas foi sempre para mim um estado de angústia, um sofrimento autêntico. Amorteci todo esse sofrimento durante anos até ao dia em que por motivos dolorosos me desfiz dele por completo na ingénua presunção de que me atrapalhava. Sobre isso passaram vinte anos.

Após eles... tive trágica conversa comigo mesmo, a sós, e resolvi nascer de novo."

Carta a Jorge de Sena, de 29-12-1963 
 

Poesia da Infância e Juventude



Era uma vez um menino

Imagem do Manuscrito
Era uma vez um menino  [1.º v.] 
por Rómulo de Carvalho. 
[1912]. – [1, 1] p. 2 f.
11 x 15 cm

 

 

Ler mais...
 
Lei da constância dos ângulos

Imagem do Manuscrito
Lei da constância dos ângulos
Como sabes, meu bem, a ciência [1.º v.] 

por Rómulo de Carvalho.
1929 Set. 26-[195-?].
[1, 2, 1] p. 2 f. ;
22,6 x 16 cm

 

Ler mais...
 
Luziadas - canto XI

Imagem do Manuscrito
Luziadas - canto XI - 1578-1580 
por Rómulo de Carvalho.
1917. – [3] p. 3 f., 1 f. dobr.
31,5 x 21,5 cm


 

Ler mais...
 
Maria é o 1.º nome

Imagem do Manuscrito
Maria é o 1.º nome  [1.º v.]
por Rómulo de Carvalho. 
1911 – [1] p. 1 f., 1 f.
14 x 6,4 cm

Ler mais...
 
Versos dedicados as ...

Imagem do Manuscrito
Versos dedicados as desgraças por causa da carestia da vida

por Rómulo de Carvalho. 
1915. – [3] p. 1 f. dobr. 16,5 x 11 cm
1 f. dobr. ; 22,5 x 17 cm

 

 

 

Ler mais...